O comércio on-line de medicamentos, só tem 110 operadores | Panorama Farmacêutico – Imã de geladeira e Gráfica Mavicle-Promo

imagem28 01 2019 15 01 13imagem28-01-2019-15-01-13

Levantamento realizado entre os utilizadores da plataforma
comparação de preços Consulta
Remédios
diz que as redes varejistas com canais de venda on-line são as empresas mais estruturadas na venda de medicamentos
na web. Em 2018, a Bifarmaapresentou
o melhor custo-benefício para o consumidor on-line, ganhando 9,5% do total
de 9,185 milhões de intenção de compra da plataforma. A rede, que conta com 250 lojas físicas, distribuídas em 50 cidades, entre
São Paulo e Minas Gerais, surgiu entre as pesquisas dos usuários com 873
mil ocorrências de melhor preço.

A segunda posição foi obtida
por Onofre, que atraiu 8,9% das intenções de
compras, empatado tecnicamente com a Droga
A listra
(8,8%). A Farmácia
São Paulo
ficou em 4º lugar, com 8,4%. A quinta posição foi a de que a Drogaria Nova Esperança,
de São Paulo (SP), com 7,6% e que opera exclusivamente no canal online.

A lista segue com Drogasil (6ª), Drogarias Pacheco (7º), Farmagora (8%), de Córdoba, mas apenas com o comércio eletrônico, e duas farmácias independentes da cidade de São Paulo, a Farmácia Livieiro (9ª) e a Gigafarma (10ª).

Vale a pena mencionar que 36,7% das intenções de
compras, foram distribuídos em vários outros operadores de venda de medicamentos
em linha. “Enquanto o Brasil tem 80 mil farmácias físicas, o comércio eletrônico
de medicina limita-se a cerca de 2.800 canais de venda, controlados por 110 varejistas
farmacêuticas”, lembra Paulo
Vion
, CEO da plataforma de pesquisa.

No ano passado, os pedidos que transitaram
plataforma de Consulta Remédios totalizou R$ 2,352 bilhões de dólares. Sob o ponto de vista
de despesas geradas pelo usuário, o cenário muda radicalmente. As cinco
primeiras empresas com maior potencial de faturamento são especializadas em
medicamentos de alto custo. A Pharma-K sai na frente, com 16,4% de os melhores preços consultados entre os
medicamentos especiais para doenças de alta complexidade, muito à frente da
na segunda posição, a 4Bio Medicamentos
Especiais
, com 6%. Mais de 42,4% dos operadores têm menos de 3,5% das
compras.

Medicamentos
mais procurados em 2018

Entre os medicamentos mais estudados em 2018, o Xarelto (Rivaroxabana), da Bayer, é utilizado para prevenir a formação de coágulos de sangue nas veias, após a cirurgia, é o campeão. Somam-Se os medicamentos de marcas e genéricos para disfunção erétil, esta categoria é a segunda mais procurada pelos usuários da plataforma. O Jardiance (Empagliflozina), Boehringer Ingelheim, e Victoza, Novo Nordisk, indicados para o tratamento de diabetes, também estão entre os mais procurados.

A lista também inclui os genéricos Orlistate, para o tratamento da obesidade; e a Rosuvastatina Cálcica, para o colesterol. O Anastrozol, a Eurofarma, para o tratamento do câncer de mama inicial em mulheres na pós-menopausa; e o controle da natalidade Mirena (Levonorgestrel), a Bayer, fecham o ranking.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Fonte: panoramafarmaceutico.com.br/2019/01/28/comércio-online-de-medicamentos-tem-apenas-110-operadores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *